As 8 dietas mais populares da atualidade

As 8 dietas mais populares da atualidade

Atualmente há centenas de milhares de dietas. Algumas delas são focadas na perda de peso, outras ajudam no seu ganho, na redução do colesterol, etc. Porém, todas elas tem o objetivo de nos proporcionar uma vida mais longa e saudável. A palavra “dieta” vem do termo “diete”, francês antigo que significa: planejamento diário de alimentos.

Já os termos “diaeta”, do latim e “diaita”, do grego significam um modo de vida, um regime. O termo “dieta” pode ser descrito como um conjunto de alimentos e bebidas, onde o tipo e a quantidade consumida deles deve ser planejada a fim de se conseguir atingir uma perda de peso ou simplesmente seguir um determinado estilo de vida. Abaixo listamos pra você as 8 dietas mais populares da atualidade.

1. Dieta de Atkins

A dieta de Atkins concentra-se em controlar os níveis de insulina em nossos corpos através do consumo de alimentos “diets”. Se consumirmos grandes quantidades de carboidratos refinados, nossos níveis de insulina irão aumentar e depois cair rapidamente.

O aumento dos níveis de insulina irá acionar o nosso corpo para armazenar o máximo de energia – fazendo com que nosso corpo não utilize da gordura armazenada como fonte de energia. A maioria das pessoas, que opta pela dieta do Dr. Atkins, consome uma proporção muito maior de proteínas do que normalmente faziam.

2. A dieta da zona

A dieta da zona aponta para um equilíbrio nutricional de 40% de carboidratos, 30% de gorduras e 30% de proteína em cada refeição. O foco também está no controle dos níveis de insulina, que resulta na perda de peso mais bem sucedida e no controle do peso corporal.

A dieta da zona, incentiva o consumo de carboidratos de boa qualidade – carboidratos não refinados e gordura, como azeite de oliva, abacate e nozes.

A palavra “dieta” vem do termo “diete”, francês antigo que significa: planejamento diário de alimentos

3. Dieta Vegetariana

Existem vários tipos de vegetarianos: Os lacto vegetarianos, os frutarianos, os ovo-lactovegetarianos e semi-vegetarianos. A maioria dos vegetarianos são ovo-lactovegetarianos, em outras palavras, eles não comem alimentos de origem animal, com exceção dos ovos, laticínios e mel.

Estudos ao longo dos últimos anos têm mostrado que os vegetarianos têm um peso corporal mais baixo, sofrem menos de doenças e, geralmente, têm uma expectativa de vida mais longa do que as pessoas que comem carne.

4. Dieta Vegana

O veganismo é um modo de vida, uma filosofia, é mais do que uma dieta. Um vegan não come qualquer coisa de base animal, incluindo ovos, laticínios e mel.
Os “vegans” não costumam adotar o veganismo apenas por razões de saúde, mas também por razões ambientais e éticas.

Eles acreditam que os métodos de agricultura intensiva moderna são ruins para o nosso ambiente e insustentável a longo prazo. Se todos os nossos alimentos fossem a favor do nosso ambiente, todos se beneficiariam, os animais sofreriam menos, mais alimento seria produzido, e as pessoas, em geral, gozariam de melhor saúde física e mental.

5. Dieta dos Vigilantes do Peso

O grupo “Vigilantes do Peso” nasceu na década de 1960, quando uma dona de casa (que havia perdido um pouco de peso e estava preocupada em não recuperá-lo) criou uma rede de amigos que vigiavam uns aos outros. Com o passar do tempo o grupo tornou-se uma grande empresa, com filiais em todo o mundo.

Os “Vigilantes do peso” concentram-se em perder peso através de dieta, exercícios e o apoio mútuo. Os “dietistas” podem se reunir fisicamente, participando de reuniões regulares ou em ambiente online. Em ambos os casos, há uma grande quantidade de apoio e educação alimentar.

6. Dieta de South Beach

A dieta de South Beach foi criada por um cardiologista, Dr. Agatston, e uma nutricionista, Marie Almon. A dieta se concentra no controle dos níveis de insulina, e os benefícios de carboidratos não refinados lentos contra carboidratos rápidos.

Dr. Agatston criou a Dieta de South Beach durante a década de 1990, após várias decepções com dietas com baixo teor de gordura e dietas ricas em carboidratos apoiada pela American Heart Association. Ele descobriu que os regimes de baixo teor de gordura não foram eficazes a longo prazo.

7. Dieta de alimentos crus

A dieta de alimentos crus, ou “Raw Foodism”, envolve o hábito de consumir alimentos e bebidas que não são processados, criando uma dieta completamente à base de plantas, e idealmente orgânica. “Foodistas” geralmente dizem que pelo menos três quartos de sua ingestão de alimentos deve consistir de alimentos crus.

Um número significativo de Foodistas também são vegans – e não comem ou bebem nada que é de origem animal. Existem quatro tipos principais de Foodistas: os vegetarianos, os veganos, os onívoros e os carnívoros crus.

8. Dieta Mediterrânea

A dieta mediterrânea é do sul da Europa, e concentra-se mais especificamente sobre os hábitos alimentares do povo de Creta, na Grécia, e no sul da Itália. Hoje em dia, Espanha, sul da França e Portugal também estão incluídos; mesmo que Portugal não seja banhado pelo Mar Mediterrâneo.

A ênfase está no consumo de alimentos vegetais, frutas frescas como sobremesa, feijão, nozes, cereais, sementes, óleo de oliva como a principal fonte de gorduras dietéticas.

Queijo e iogurtes são os principais alimentos lácteos, quantidades moderadas de peixe e aves, até cerca de quatro ovos por semana, pequenas quantidades de carne vermelha e quantidades moderadas de vinho. Até um terço da dieta mediterrânea consiste em gorduras saturadas, não superiores a 8% da ingestão de calorias.

A palavra “dieta” vem do termo “diete”, francês antigo que significa: planejamento diário de alimentos

Cuidado! As dietas ocidentais podem encurtar sua vida

Pesquisadores em nutrição realizaram um estudo que descobriu que a “dieta ocidental”, que é rica em alimentos doces e fritos, aumenta o risco de uma pessoa morrer cedo.

Há um impacto da dieta sobre as doenças relacionadas com a idade. Indivíduos que consumiam alimentos da cultura ocidental, como frituras, gorduras, e alimentos processados, tinham um risco consideravelmente maior de morte cardiovascular e não cardiovascular.

As vantagens de dietas à base de plantas

Sabe-se dos benefícios de uma alimentação saudável, acreditando que uma alimentação à base de plantas minimiza ou elimina completamente a propensão genética das pessoas para o desenvolvimento de doenças crônicas, tais como diabetes do tipo 2, doenças cardiovasculares e o câncer.